Loading...

Patrimônio digital, dados abertos
e tecnologias de memória
 
28 e 29 de agosto de 2018
 
noticia evento Thumbnail

Painel debate avanços provocados pelas TIC no ensino superior

O primeiro painel do Fórum RNP 2017 debateu os ganhos propiciados pelo uso das TIC, em especial com as aplicações em redes avançadas na educação superior brasileira, e projetou os desafios para o futuro. Participaram a representante da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Maria Clorinda, e o representante da Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), Pedro Fernandes Neto. A gerente de Relacionamento com Cliente da RNP, Bia Zoss, mediou a conversa.

A professora Clorinda começou a apresentação reforçando a importância da internet no ambiente universitário. “A mais importante constatação é que absolutamente tudo dentro da universidade hoje depende da internet. Não se consegue trabalhar em atividade de ensino, pesquisa e inovação se não tiver essa ferramenta poderosíssima de rede”, afirmou, citando os serviços oferecidos pela RNP, como eduroam, Portal de Periódicos da Capes e CAFe como sendo fundamentais na democratização do ensino e conhecimento no país.

Para ela, as ferramentas estão à disposição, mas ainda são subutilizadas, por isso são necessárias mudanças nos métodos de trabalho dos professores para serem geradas modificações no funcionamento das instituições e no sistema educativo. É fundamental uma capacitação de pessoas e um maior investimento em infraestrutura, para que o aproveitamento das novas tecnologias seja maximizado. A internacionalização também se faz altamente relevante para o aprimoramento do ensino e pesquisa brasileiros.

O representante da Abruem, Pedro Fernandes Neto, apresentou um panorama mais desafiador ao expor que as instituições estaduais e municipais de ensino superior ainda sofrem com a falta de infraestrutura, em decorrência dos baixíssimos investimentos.

“No interior, é tudo mais difícil. Não dá para levar palestrante. Em se tendo infraestrutura em comunicação, isso é muito facilitado. Natal tem a rede Giga, que é maravilhosa. Porém, mais para dentro do estado, não tem. Temos exemplos de universidades que sublocam provedores que oferecem 20Mb\30Mb e os professores levam os alunos para suas casas, porque possuem internet muito melhor. Aí como vamos evitar falar da evasão?”, questionou.

Após considerar demasiadamente falha a execução do Plano Nacional de Educação justamente pela ausência de recursos nas instituições associadas a Abruem, Pedro Fernandes Neto propôs uma reflexão. “Como fazer com que as instituições extrapolem seus muros, sejam socialmente referenciados e impactem seu entorno se não possuem infraestrutura adequada?”.