Loading...

Patrimônio digital, dados abertos
e tecnologias de memória
 
28 e 29 de agosto de 2018
 
noticia evento Thumbnail

Fórum RNP homenageia construtores da internet no Brasil

Dentro das comemorações dos 25 anos da primeira rede nacional brasileira, o painel de encerramento do primeiro dia do Fórum RNP prestou uma homenagem a professores, acadêmicos e representantes de instituições que contribuíram para o estabelecimento da internet no Brasil. As personalidades receberam o diploma de Construtores da Internet.br.

Veja no site da RNP a lista dos nomes indicados.

Foram convidados para compor a mesa o diretor técnico do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), Alexandre Grojsgold, o diretor-presidente do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), Demi Getschko, um dos fundadores da RNP, Tadao Takahashi, e Ivan Moura Campos, ex-secretário de Política de Informática e diretor da startup Hekima.

O diretor técnico do LNCC, Alexandre Grojsgold, relembrou a implantação da Bitnet, rede que antecedeu a internet, liderada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Na época, a Bitnet permitia serviços não interativos de correio eletrônico e transferências de arquivos entre usuários e, em 1991, chegou a alcançar 42 instituições no país. “O grande diferencial da Bitnet, e depois da internet, foi a derrubada das fronteiras nacionais. O mundo ficou pequeno”, disse Grojsgold.

O diretor-presidente do NIC.Br, Demi Getschko, foi o responsável por estabelecer a primeira conexão de internet no Brasil em 1991, na Fapesp. Essa conexão foi estendida no mesmo ano para a Universidade de São Paulo (USP), o LNCC, a PUC-Rio e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). De dois nós, a Fapesp e o LNCC, saíam conexões internacionais aos Estados Unidos, com capacidades de 4,8 a 9,6 kb/s. Demi Getschko foi o primeiro brasileiro nomeado para o Internet Hall of Fame, premiação da Internet Society, na categoria de conectores globais. “Uma das coisas que a internet fez e continua fazendo é quebrar paradigmas”, afirmou Getschko.

O segundo brasileiro nomeado para o Internet Hall of Fame, na mesma categoria, foi um dos fundadores da RNP, Tadao Takahashi. Ele foi um dos responsáveis pelo projeto Rede Nacional de Pesquisa quando ele ainda era do CNPq, lançado em 1989. Ele relembrou como foi o processo da conexão entre Rio e São Paulo para o evento internacional ECO-92. “A ECO-92 foi um choque de seriedade. Ela teve essa caraterística importante de conseguir colocar no ar uma infraestrutura técnica em um evento que era basicamente político”, afirmou Takahashi.

O ex-secretário de Política de Informática e atual diretor da Hekima, Ivan Moura Campos, comentou sobre a união de esforços entre os mundos acadêmico e governamental para a implantação do primeiro backbone nacional. Ele trouxe para o Fórum RNP sete movimentos estratégicos para a internet, citados por ele em uma palestra em Damasco, na Síria, em 1999. Ivan Moura Campos resgatou um desenho de espiral adotado posteriormente pela rede acadêmica americana, a Internet2, que justifica a continuidade de investimentos em uma rede acadêmica e o valor da sua entrega para a sociedade.

Quando questionados sobre o futuro, os painelistas trouxeram reflexões. “Estamos numa época de formar inquietos intelectuais e temos a tecnologia ao nosso lado. O mundo é bem melhor agora”, avaliou Ivan Moura Campos. Já Demi Getschko ponderou. “Estamos cada vez mais superficiais, usamos uma linguagem na internet que remete aos hieróglifos", disse Getschko, que também citou o escritor Millor Fernandes. “É melhor ser pessimista do que otimista. O pessimista fica feliz quando acerta e quando erra”.