Notícia

TCU mostra pilares de sua estratégia

09/11/2016 12:07

Governança e talento foram o mote da apresentação sobre os pilares da estratégia de controle digital do Tribunal de Contas da União (TCU), realizada pelo auditor Wesley Vaz.

Ele destacou que o órgão “é uma máquina de produzir decisões, estimulado por denúncias, representações e auditores. A tentativa é dar conta de fazer esse trabalho de modo melhor, mais rápido e mais efetivo. Por isso, o TCU decidiu investir em mudança estrutural, organizacional e ferramental relacionada à sua forma de fazer mais controle, para provar para a sociedade que é possível mostrar resultados com recursos cada vez mais escassos”.

Para ele, o trabalho do auditor deve ser basear no método científico, ou seja, em informações. “Estamos trabalhando numa mudança de cultura, colocando nas equipes de fiscalização especialistas que conhecem os temas tratados”, contou.

Como case de sucesso do TCU em aliar talento, governança e plataformas, citou o LabContas, que possui 56 bases de dados da administração pública integradas, 400 usuários internos habilitados e 50 externos. “Esse é o tesouro do sistema de controle da administração pública”, relatou.

“Tínhamos o sonho de termos um conjunto de informações que mostrem os riscos de cada convênio fracassar. Temos isso, no Painel TV. Também tínhamos a intenção de fazer um ambiente inteligente de consulta às 56 bases para contato do auditor. Isso está disponível, chama-se TGI Consultas. Queríamos ainda oferecer acesso a informações, para o auditor, de maneira realmente simples, criamos o Sofia. Também implantamos uma plataforma de acompanhamento de licitações, um dashboard, que traz imagens da Transnordestina, por exemplo, que permite a comparação entre o planejado e o executado. O projeto foi batizado de Geocontrole e traz eficiência com economia de recursos”, enumerou.