Notícia

Painel de ensino a distância traz novas experiências de capacitação remota

09/11/2016 14:06

No painel dedicado ao ensino a distância no Fórum RNP 2016, especialistas procuraram analisar as lacunas a serem preenchidas no processo de aprendizagem com o uso do ensino remoto e distribuído, desde a capacitação de docentes até a melhor forma de oferecer esse conteúdo aos alunos.

A diretora do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), Cecília Leite, destacou a competência informacional, ou seja, a habilidade de produzir conteúdo multimídia utilizando as novas tecnologias de informação e comunicação. “Superamos o acesso à informação por meio das novas tecnologias, mas o uso desse aparato tecnológico e como lidar com o que ele disponibiliza é ainda uma questão a ser resolvida”, pontuou Cecília.

Ela ainda mencionou projetos recentes que tiveram o envolvimento do Ibict, como o Brasil Voluntário, que ofereceu capacitação totalmente remota, por meio de vídeos e conteúdo multimídia, para formar voluntários na Copa das Confederações e na Copa do Mundo de 2014. Outro projeto foi o Escola de você, que chegou a promover a formação de 50 mil mulheres com foco na autonomia e na independência, debatendo questões de empreendedorismo, maternidade, liderança, saúde e autoestima.

O Ibict ainda teve participação no MECFlix, plataforma gratuita do Ministério da Educação que disponibiliza mais de 1,9 mil vídeos para preparação ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Cecília apontou a necessidade de capacitação docentes para se adaptar a essa nova realidade. “A escola não era um quadrado como era antes, essa informação está em todo o lugar, a disposição. Você precisa encontrar o ponto de motivação do outro para oferecer esse conteúdo”, avaliou a acadêmica.

Jeferson Farias Lemes, do departamento de TI da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), dividiu com o público a experiência da instituição com os cursos de capacitação remota oferecidos pela Escola Superior de Redes (ESR). Desde a criação da universidade em 2006, devido às grandes distâncias entre os campi, que podem chegar a 700 km, foram realizados 13 cursos, que capacitaram 104 servidores e geraram uma economia aproximada de R$ 63 mil em diárias e transporte. “Com a redução do tempo de deslocamento, conseguimos maior número de servidores capacitados e maior abrangência dos cursos”, comentou.

Como dificuldades, ele apontou os recursos para manutenção da infraestrutura, a permanência dos monitores capacitados na mesma instituição e a viabilização de cursos de cunho técnico, uma vez que os cursos EaD hoje ainda têm um viés mais teórico. “Pretendemos investir em tecnologias de imersão e aumentar a qualidade de transmissão nas aulas”, apontou o palestrante.