Notícia

Encontro Nacional Redecomep debate construção de modelo de gestão

07/11/2016 18:20

O Encontro Nacional Redecomep antecipou a programação do Fórum RNP 2016, reunindo, no dia 7/11, no Instituto Federal de Brasília (IFB), as equipes das redes metropolitanas, que compartilharam os desafios da gestão das Redecomeps (Redes Comunitárias para Ensino e Pesquisa).

O diretor-adjunto de Relações Institucionais da RNP, Gorgonio Araújo, deixou claro que “a organização está iniciando um desenho estratégico para a iniciativa Redecomep (Redes Comunitárias para Ensino e Pesquisa), que deve evoluir com o tempo”.

Para ele, à luz da estratégia da RNP para 2020, é vital que os Pontos de Presença (PoPs) possam ir além e se aproximar das Redecomeps, dando suporte ao seu desenvolvimento. “Os Pontos de Presença devem ser sustentáveis. E as redes necessitam de um modelo inovador, pois um governo central, que serve para todos, não se sustenta”.

Detalhando o trabalho de desenho estratégico, os gestores de Relacionamento com as Redes Metropolitanas da RNP, Cristiane Simões e Takashi Tome mostraram a metodologia e a evolução do modelo de gestão em construção. “Vai existir um modelo de franquia, que nada mais é que um modelo de gestão, a ser seguido, cuja principal vantagem é criar uma constelação de Redecomeps, para que elas se fortaleçam e ganhem visibilidade da sociedade”, garantiu Tome.

Como meta para 2017, Cristiane frisou que “para 2017, precisamos nos esforçar a fim de fazer a formalização das redes, em um modelo flexível”. Esse escopo também foi defendido pelo presidente do Comitê Gestor da GigaCandanga (DF), Leonardo Lazarte. Ele defendeu uma certa flexibilidade no modelo, “para contemplar as peculiaridades de cada rede”.

Como exemplos de gestão existentes, os coordenadores da Remessa (Salvador), Claudete Alves, e da GigaNatal (Natal), Sérgio Fialho, apresentaram detalhes sobre a estrutura, os convênios e as parcerias que viabilizam a operação de suas redes, seguidos de um debate entre os participantes.